Manifestações de Pablo Megracko

Espaço dedicado às manifestações do companheiro Pablo.

Gabriel

1 de mai de 2011

Corpo Presente

.
De quem é esse corpo
que caminha por mim
Sob o céu de espanto azul
Esse pulso etéreo, esse véu de luto

E que a qualquer instante
sorri perverso, ri do mundo
Desencanta o deslumbrado
e alheio apogeu

Quem foi que viu
que sobre o mar de estrelas
um manto de névoa
flutua lento, veleja almas?

Não fui eu!, não fui eu...
que perscrutei a fuga do ventre
e desejei o frio, essa peleja
Oceano sombrio, tu é que me amas

Amor fugidio, é tu que me queres
Voz da estrada, canta!, flor em chamas
Beato!, porco imundo abençoado
Meu sangue arrepia... sem sair de curso

Gritos histéricos: meus tímpanos berram
Não sou eu!, não sou eu...
quem escarnece do amor eterno
Não é meu o corpo adúltero que envelhece

Não fui eu quem mudou o ritmo dos amantes
Que chorou e riu na aurora noturna
Que escapou do cárcere da solidão
e iluminou os serais dos corpos

Não é minha a paixão
pelas filhas da terra
e o desejo de morrer por elas

O fim não é meu
é dos anjos e das trevas
Nem por mim é que velas

Os olhos da vigília
são todos os homens
de todas as selvas

A tristeza dos teus dias
fui eu que matei
Mas não são minhas as mãos
que enforcaram tua dor

Nem é nosso esse amor
nessa cama sem dono
Vê bem quem tu amas
que toca-te os pomos

Amor do mundo! Amor do Mundo!
É tua a saliva que enternece
É teu, é todo teu este sorriso
absurdo que amanhece

Nenhum comentário:

Postar um comentário