Manifestações de Pablo Megracko

Espaço dedicado às manifestações do companheiro Pablo.

Gabriel

1 de mai de 2011

Céu Azul

.
Sempre há um corpo esticado sob o céu esplêndido
Bronzeando seus vermes e alheio aos choros mudos
Salivando o desejo da terra pelo banquete, cruelmente negado

Trancado na árvore morta o corpo morto desce para o escuro
Coitado do céu, foi-lhe arrancado o direito de polir a morte
Foi arrancado ao vento gélido o prazer de esvoaçar os cabelos inertes
Os vivos rogam a si o direito de chorar e enterram o que sobrou do
[homem, que nada dizia
E nem sequer percebem que sob o céu azul sobraram sós os homens
[tristes no cemitério
Um corvo cruza o cimo. Da cova preta um par de asas brancas
[borboleteia ao cerrar da tampa

Do lado de fora, o casal contente pulula sob o anil melancólico dos
[homens de dentro
O céu abraça a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário