Manifestações de Pablo Megracko

Espaço dedicado às manifestações do companheiro Pablo.

Gabriel

1 de mai de 2011

Cessar Fogo

.
E se me desfaço em lágrimas, não é mais tristeza
E se agora deserto, amigos, é a secura do mundo
que se me apresenta após conhecê-lo às entranhas
Se agora sou estranho, é para guardar vivos os punhos

Abandono as aglomerações extasiadas de ilusões
Vomito dentro dos beijos das donzelas maquiadas
Agora já é dia e não temo mais os segredos da noite

Me retiro do fronte onde matei incontáveis alvoradas
a decifrar um a um os olhares cheios de estórias
despidos pela loucura, sem saber o que os guiava

Confino-me no lúcido caos que há dentro da mente
e deixo-os arrasando tudo no desatino mecânico
que vez ou outra arrebenta um coágulo vermelho
que atravancava a catraca cinza do motor satânico

Adeus! O caminhar anda sozinho
Meu sangue não é óleo de máquina
Eu não tenho miras, tenho olhos
Não vim ouvir berros, vim ouvir música
Não faço discursos, faço versos

3 comentários:

  1. quero te parabenizar pelo blog, ainda não tive tempo de ler todo ele mas gostei muito do que li até agora. Peço tua ajuda, pois dscobri seu blog por causa de um outro chamado, a vida é líquida e as postagens cessaram ano passado e gostaria muito de saber quem é a pessoa que postava!! agradeço muito

    ResponderExcluir
  2. demais, não canso de ler e reler
    parabens, mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Sr. Mr. Sir. William Von Lichtenstein, não sei como postar no teu blog, então deixo a resposta aqui mesmo; espero que dê a sorte de voltar aqui por isso. A pessoa do blog que se referiu é amiga minha. Deixe aí um contato e falaremos.
    Brigado pelo reconhecimento. Queria ver o teu blog, mas não sei o que passa; não consigo entrar. Devo estar fazendo algo errado.

    Pablo

    ResponderExcluir